Rio+20 x a ditadura do “ter”

Muito se fala em ecologia, mas ela é utopia, já dizia minha avó. Eu tenho, tú tens ele tem é a base atual da ecologia. O estilo de vida humano é predatório e completamente danoso ao meio ambiente, para não dizer ao ambiente inteiro. A ditadura do ter influencia o comportamento de quem não é, explicando: quem não é alguma coisa, procura ter alguma coisa pois ter é poder. Quem não tem nada, nada é. Assim caminha a humanidade fazendo o planeta degradar.

A conferência Rio+20 não vai resolver nada pois o ser humano ainda não resolveu ser um naturalista simples em troca de ser um conquistador e acumulador além de exibidor de status através do ter. Lamentável. Será preciso acontecer uma catástrofe, mundial, capaz de queimar todos os ideais políticos e administrativos, reduzindo-os a cinzas para nascer uma nova era de comportamento humano, mas simples e, menos possuidor, mais divisor e compartilhador que capitalista, onde a inteligência iniba o desejo de destruição instintivo que leva todos os seres vivos a prática predatória e “canibal”, onde um derruba o outro semelhante para vencer e sobreviver.

Resta dizer que nem o capitalismo doentio nem o socialismo resolvem a ecologia planetária, pois um revela o lado competitivo e animal do homem e o outro privilegia o lado patético e preguiçoso do malandro incompetente. Um destrói e o outro vive pendurado na aba do chapéu daquele. Ha de se olhar a Rio+20 como fracasso, uma utopia mundial, utopia que deixa de ser criticada e escondida para ser vivida.

A felicidade de uma criança está apenas no fato de não ser conhecedora da realidade. Após crescer ela aprende a desviar o foco da realidade para continuar feliz. Mas quando cai a realidade sobre sua vida parece hora de ir embora do planeta que fica cada vez mais árido.

+20 pode ser resumido em ter mais, comprar mais, trocar mais, mais progresso, mais dinheiro, mais movimento, mais rodovias, mais luxo, mais gadgets, mais tv´s, mais eletrônicos, mais eletrodomésticos, mais roupas e mais sapatos. Mais descartáveis, mais empregados, mais indústrias e mais comércio, mais casas e mais objetos de lazer e mais tudo o que puder, menos deixar de ter, ah, isso não. Talvez o princípio da ecologia comece quando o nome for Rio-20. Menos crescimento, menos obras, menos coisas, menos petróleo, menos carros, menos navios. O problema é que com menos não ficaremos satisfeitos pois existe a guerra das nações querendo superar umas as outras, o mesmo com guerras entre cidades, idem nas empresas, idem nos grupos políticos e religiosos, idem nas famílias, idem no ser individual, brigando sempre com o semelhante para ser melhor ou mais importante. Deste modo a ecologia continuará fadada ao fracasso e a terra, que nos gerou será assassinada pela sua criatura. É mais ou menos como matar Deus para assumir seu lugar. Isso e outro assunto.

Boa Rio+20 a todo o planeta. Gilson Oliveira

py2gs

Graduado em Informática para Gestão de Negócios pela Fatec-BS. Pós-graduado em Administração Pública pela UGF. Aposentado do Serviço público Federal, Casado, 2 filhos e uma neta. Mora em Santos Litoral de São Paulo. Radioamador Classe A, prefixo py2gs antigo py2add.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 8 =

Verificando humanidade. *

%d blogueiros gostam disto: