Um pouco de história sobre o rádio

Em 1873, James Clerck Mawell (1831 – 1879), professor de física na Universidade de Cambridge, anunciou uma teoria demonstrando que a Luz e o Calor são formas de vibrações eletromagnéticas e que se diferenciam tão somente pelo comprimento de onda. Maxwell apresentou as principais características das ondas eletromagnéticas e também a sua expressão matemática, válidas até hoje e conhecidas como “equações de Maxwell”.

O que importa para a criação do Rádio, alguns anos depois, é compreender que as ondas eletromagnéticas propagam-se no ar, no vácuo e em outros meios materiais. No vácuo e no ar, sua velocidade é de aproximadamente 3 . 108 m/s, isto é, 300.000 km/s. Com esta velocidade, uma onda eletromagnética, sofrendo reflexões adequadas, como por exemplo, sendo retransmitida por satélites, chega a dar sete voltas e meia ao redor da Terra, em apenas um segundo e, o que é mais importante ainda, carregando informações.

Por volta de 1890, um cientista chamado Édouard Eugène Désiré Branly (Amiens, 23 de outubro de 1844 – Paris , 24 de março de 1940) inventou o Coesor Elétrico. Este aparelho, constituído de um tubo de vidro contendo limalhas de metal magnético, conseguia captar ondas eletromagnéticas a distancia de algumas dezenas de metros. O transmissor consistia de um centelhador com uma bobina que produzia ondas eletromagnéticas. o Coesor tornou-se rapidamente obsoleto, sendo substituído pelo “detector de Galena (Marconi e Braun)

Em 1895, um físico russo chamado Alexander Stephanowitsch Popow, utilizando o coesor elétrico de Brandly conseguiu melhorar o circuito e transmitir a algumas centenas de metros utilizando uma antena idealizada por um cientista alemão chamado Henrich Hertz. Os eventos científicos foram registrados numa revista chamada ELECTRICIAN, editada pela Universidade de Cambridge na Inglaterra.

Guglielmo Marconi, que nasceu na cidade de Bolonha, estudou o coesor elétrico de Brandiy e melhorou a invenção, realizando a primeira transmissão de sinais telegráficos sem fio através do canal da Mancha, utilizando para isso o código Morse.

No dia 2 de junho de 1896, Marconi adquiriu a patente inglesa e no dia 13 de julho registrou a patente americana da invenção do telégrafo sem fio.

Em 1907, um cientista inglês chamado Lee De Forest inventou a válvula triodo, que repercutiu num avanço extraordinário das técnicas de telecomunicações. Graças ao invento da válvula triodo, os sinais fracos podiam ser amplificados, e em seguida surgiram os osciladores, amplificadores de audiofrequência e outros circuitos utilizados na telecomunicação.

Em 1911 surgiram as primeiras estações de transmissão de radiofonia e rádios receptores sintonizados, chamados Receptores Neutrodinos.

Por volta de 1917 o cientista francês M. Lucien Levy inventou um receptor chamado Super-heteródino, um sistema mais eficaz que os utilizados anteriormente. Os receptores super-heteródinos são utilizados atualmente nos modernos
rádios comerciais, televisores e transceptores para o radioamadorismo. Durante o inicio da Segunda Guerra Mundial surgiram importantes técnicas de transmissão UHF, FM e BLU.

Descobriu-se então nesta época o semicondutor, que possibilitou a construção de transistores capazes de substituir as válvulas eletrônicas e miniaturizar os equipamentos de radiocomunicação. Apos a Segunda Guerra Mundial, os equipamentos de transmissão de radio portáteis passaram a ser utilizados pela população civil, sendo criados na Europa órgãos profissionais de radiodifusão e radioamadorismo.

No Brasil o órgão responsável pela homologação da licença para a difusão de ondas de radio é a ANATEL, antigo DENTEL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =

Verificando humanidade. *