O carro elétrico é tão antigo que voltou à moda

Tem muita gente acreditando que o carro elétrico é algo moderno, se enganam. O primeiro carro elétrico foi produzido em 1835. Em 1899 carros elétricos já marcavam até 100 km horários. Em 1900 28% dos veículos produzidos nos Estados Unidos eram elétricos. O que acontece em seguida é que a indústria do petróleo matou o carro elétrico.

Hoje a indústria automobilística tenta recuperar o uso e desenvolvimento do carro elétrico. O objetivo pode ser apenas financeiro, já que há um saturamento do uso massivo de motores a combustão.
 
Existem vantagens e desvantagens no uso do veículo elétrico. A melhor de todas as vantagens  é de cunho ambiental, o uso do veículo elétrico em larga escala promoverá uma diminuição da poluição ambiental. O monóxido de carbono emitido pelos carros a combustão é altamente nocivo para a saúde humana. Os gases causadores do  efeito estufa são também responsáveis pelo aquecimento global. Os veículos elétricos não emitem quaisquer gases geradores do efeito estufa, zero, porém os processos produtivos ainda emitem muitos poluentes.

Outra vantagem é a diminuição da poluição sonora já que os veículos elétricos praticamente não emitem ruído, são silenciosos quando comparados com os veículos convencionais com motor de combustão.

Ainda como vantagens podemos citar que os veículos elétricos ou com célula de combustível possuem isenção do imposto de importação, para isso eles precisam ter uma autonomia mínima de 80 km. Os híbridos cai para  0% ou até 7% dependendo de sua eficiência energética e do tamanho do motor a combustão. A cidade de São Paulo isenta o veículo de rodizio municipal e devolve ametade do IPVA.

A principal desvantagem hoje é o preço de aquisição. Mesmo com incentivos nos impostos os carros eléctricos têm um preço elevado quando comparados com os equivalentes com motor de combustão interna. O uso de baterias de lítio e a baixa autonomia se traduzem em desvantagens ao modelo.

Economicamente ainda não é vantagem possuir um veículo desses, principalmente no Brasil. A falta de locais de recarga é um fator limitador e que favorece aos modelos híbridos. As baterias são caras e a desconfiança impera, mas alguns fabricantes oferecem garantia em baterias de até 8 anos. Há de se pensar.

Por cá nas bandas tupiniquins atualmente  7 carros elétricos e híbridos estão disponíveis com preços a partir de 127 mil reais chegando a 800 mil reais. Quem pode, pode.

Forte abraço

Gilson Oliveira
py2gs

 

py2gs

Graduado em Informática para Gestão de Negócios pela Fatec-BS. Pós-graduado em Administração Pública pela UGF. Aposentado do Serviço público Federal, Casado, 2 filhos e uma neta. Mora em Santos Litoral de São Paulo. Radioamador Classe A, prefixo py2gs antigo py2add.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + 20 =

Verificando humanidade. *

%d blogueiros gostam disto: